Após navegar por águas brasileiras por mais de dois meses, a tripulação da Fundação Tara Ocean se despede nesta sexta feira da Marina de Itajai, às 15 h,  e leva a bordo a bióloga catarinense Andréia  Green Kottker por um período aqui na América do Sul.

   O veleiro laboratório Tara será acompanhada pelo veleiro Eco. Construído no país, em parceria entre a Fundação Tara e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o veleiro Eco partirá em 2022 para estudar a costa e os rios brasileiros no âmbito do programa europeu AtlantECO.

      Durante quase dois anos, o navio de laboratório Tara percorrerá 70.000 quilómetros no Atlântico Sul, ao longo das costas da América do Sul e da África, até à Antártida. Concebida pela Fundação Tara Océan, o programa europeu AtlantEco, e parceiros científicos, incluindo o CNRS (Conselho nacional da pesquisa científica), CEA (Comissariado de energia atômica e energias alternativas) e EMBL (Laboratório europeu de biologia molecular), esta missão envolve 42 estruturas de pesquisas em todo o mundo para estudar o microbioma oceânico e as suas interações com o clima e as poluições.

      Os microrganismos marinhos desempenham um papel essencial no oceano, sendo responsáveis por mais de dois terços da biomassa marinha. São a primeira ligação numa imensa teia alimentar que alimenta uma grande parte da humanidade. Estes organismos marinhos são verdadeiras fábricas de serviços ecológicos e económicos, capturando 25% das emissões de carbono geradas pelas atividades humanas. Eles regulam a temperatura da terra e desempenham um papel fundamental na nutrição dos ecossistemas. Uma engrenagem essencial na grande máquina climática, o funcionamento deste mundo invisível é ainda largamente desconhecido.

Fondation Tara Océan

    Estudo da pluma amazónica

 O primeiro objeto de estudo da escuna tara será o rio Amazonas. Cientistas vão estudar a composição da pluma amazônica e seu impacto no Caribe. O rio Amazonas é o maior rio do mundo e despeja uma quantidade gigantesca de água doce no Atlântico (200 milhões de litros por segundo, em média). O caudal do rio afeta a salinidade e a temperatura do Atlântico tropical e também injeta materiais de base terrestre, sedimentos, nutrientes e matéria orgânica. Essas variações influenciam fortemente a composição do microbioma e as interações entre os microrganismos.

Sustentabilidade – Veleiro Eco participa de pesquisa no oceano com um investimento de 11 milhões de euros e com a participação de 32 instituições – Regata News

A FUNDAÇÃO TARA OCÉAN

 A Fundação Tara Océan Foundation é a primeira fundação de utilidade pública reconhecida dedicada ao oceano na França. Tem duas missões principais: Explorar o oceano para melhor compreendê-lo e partilhar conhecimentos científicos sobre o oceano para criar uma consciência cidadã e coletiva.

  Há 18 anos, vem desenvolvendo ciência oceânica de alto nível, em colaboração com laboratórios de pesquisa internacionais de excelência, para explorar, compreender e antecipar as rápidas mudanças ligadas aos riscos climáticos e ambientais, bem como os impactos de várias poluições.

 Para tornar o oceano uma responsabilidade comum e preservá-lo, a Fundação Tara Océan também está trabalhando para conscientizar o maior número possível de pessoas sobre a ciência do oceano e educar as gerações mais jovens.

Estudar e proteger o oceano é cuidar do sistema global de nosso planeta.

     A Missão Microbiomas da Fundação Tara Océan faz parte do projeto europeu AtlantECO, financiado pela Comissão Europeia, que reúne mais de 36 instituições científicas na Europa, Brasil e África do Sul. Esta colaboração científica internacional visa desenvolver uma compreensão detalhada das questões relacionadas com o Oceano Atlântico. AtlantECO cruzará o Oceano Atlântico com 6 expedições principais, duas das quais estudarão as costas brasileiras, Tara e Veleiro Eco. Durante essas expedições, os cientistas se concentrarão no estudo do funcionamento e da circulação do microbioma marinho, bem como na análise do impacto da poluição (plástica e química) e das mudanças climáticas nesses microrganismos.

 A chegada da escuna científica tara em Belém é o prenúncio do início da operação científica do AtlantECO no Brasil.

  Os parceiros brasileiros do AtlantECO são: Universidade Federal de São Carlos, Universidade de São Paulo, Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal da Bahia e Universidade Federal de Rio Grande.

Mais

www.atlanteco.eu

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here