O principal polo náutico brasileiro e a única parada sul-americana da Regata espanhola The Ocean Race, está em constante crescimento, Itajaí subiu duas posições no ranking do Produto Interno Bruto (PIB) e tornou-se a 34ª maior economia do Brasil.

O Município catarinense gerou R$ 28,2 bilhões em riquezas no ano de 2019. Em Santa Catarina, a cidade é a segunda colocada e a única entre as grandes economias a se destacar no PIB per capita, com um total de R$ 128.522,07 por habitante. Itajaí também se mantém como segundo maior PIB do Estado. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Secom

  “Os números do PIB confirmam o bom desempenho de nossa economia, que cresce ano a ano graças aos investimentos realizados por Itajaí. O Porto segue sendo o grande motor de nossa economia, além da construção naval, da pesca e do turismo. Essa diversificação impulsiona a geração de riquezas para a população e se reflete em uma melhor qualidade de vida para os itajaienses”, pontua o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni.

  Em 2019, a cidade registrou aumento de 11% (R$ 2,8 bilhões) no PIB em comparação ao ano anterior e segue entre as economias que mais crescem no Estado. O Município também se manteve no segundo lugar estadual no resultado geral do PIB, atrás de Joinville. A diferença na geração de riquezas entre as duas cidades foi de R$ 6,3 bilhões.

  Já a renda per capita dos itajaienses teve um acréscimo de R$ 10.810,07 por habitante em 2019, o que representa quase 10% de aumento em relação a 2018. A cidade é a segunda no ranking estadual, atrás apenas de Piratuba.

  A expectativa é de mais crescimento nos próximos anos. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Thiago Morastoni, a atividade portuária deve seguir alavancando esse crescimento. Nosso complexo tem batido seguidos recordes em movimentação de contêineres e toneladas e isso movimenta toda uma cadeia. O setor de serviços também impacta diretamente o PIB, uma vez que dele fazem parte as empresas aduaneiras, de comércio exterior e logística, responsáveis pelas cargas que entram e saem do terminal.

“Devemos lembrar que neste ano, mesmo ainda sob influência da pandemia, tivemos geração de empregos recorde, com mais de 11 mil novos postos. Esses dados também são reflexo de um desenvolvimento crescente”, completa o secretário.

Concentração urbana

Os dados do PIB do IBGE apontaram ainda que a concentração urbana de Itajaí-Balneário Camboriú, que integra sete municípios da região, detém a maior fatia do PIB a preços correntes de Santa Catarina. Com R$ 44,4 bilhões, a região é a sexta do Brasil e ultrapassou a concentração urbana de Florianópolis, que ocupava o primeiro lugar no Estado em 2018.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here